MOSTRANDO

SÓ PARA LEMBRAR, QUE ALGUMAS VEZES ESTOU POSTANDO NOS OUTROS ESPAÇOS DO SÍTIO, DAQUI. OU ESTOU ISOLADA EM ALGUM SÍTIO DE CÁ, FORA DO MUNDO BLOGAL.


Tenho postado AQUI ou AQUI

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Fé na incerteza



Tinha uma programação intensa para a semana, coisas chatas de fazer, passar por lugares que ativam memórias desagradáveis, dolorosas mesmo, esforço, cansaço, mas tudo bem, a esperança do fim de semana, de quinta em diante, o chamado/convite  que recebi, para os prazeres simples de sempre, o que mais amo, brincar com minhas crianças. Tudo bem, vai compensar, faço o ruim e depois faço o bom..  Daí consegui fazer tudo, apesar de engarrafamentos desesperadores, lugares mais ainda, calma , amanhã eu vou...pensava, consolando-me, quando transportava coisas, trocando-as de lugar, de cidades, enquanto trocam de estilo de vida, ao mesmo tempo, três dos meus filhos. Mudanças. Chegando o "amanhã", ainda  haviam uns poucos retoques, coisitas para levar, pegar, entregar. Tudo pronto, preparo-me para os 450 km de rodovias e fotografias, com  uma chegada ao destino. Tudo pronto, e o quartomóvel, pau-pra-toda-obra, apresentou fadiga !  Sei lá, um ronco estranhíssimo quando viro o volante na manobra simples de sair da garagem  e a toda curva mais fechada. Voltei. Na hora do bom, pifou !  Tá, é bom a sensação de dever cumprido, mais uma vez, mas não sou Iluminada, a ação pela ação nem sempre me satisfaz. Preciso de uma recompensa, o dia da compensação. Ou que pelo menos os organizadores daqueles trabalhos muito legais que andei fazendo e aquele outro que me deixou em crise, vocês lembram, né, pelos quais não recebi até hoje  meus $$$$,  e alguns já completam seis meses , me paguem o valor combinado, e virá sem juros, para que eu possa ir à oficina mecânica tentar solucionar o que ocorre. Prejuízo emocional feito, as limitações do corpo parece que se intensificam, dói muito quando me vejo frustrada assim, vai entender as tais ações autoimunes .  Vai entender os mistérios desse mundo. Não adiante ficar certinha, porque o que acontece ao redor tem outras leis e regras que desconheço e discordo, mas me são impostas.
Estou muito, muito triste. Eu sei que tudo passa... Mas eu perdi mais essa.

6 comentários:

Chiz disse...

Perdeu nada! Ganhou mais tempo para novas reflexões, que partilha conosco, que ganhamos com você.
Abraço.

myra disse...

isto mesmo nao perdeu!adiante como sempre com muito entusiasmo!
beijos minha querida amiga,

Rubinho Osório disse...

É... de deixar triste mesmo. É de deixar "puta da vida". Minha mulher é bem "Poliana": olha tudo pelo lado bom, vantajoso. Eu a admiro, mas não sou assim. Fico frustrado, bravo, triste com as "injustiças da vida". Então, não se culpe por se sentir triste. Vc tem seus motivos. Só não deixe que eles estraguem os boas coisas que vc tem - e, creia-me vc tem boas coisas pra se alegrar.
Abs

Paula Barros disse...

Interessante como o corpo reage diante das frustrações.

A gente que ler, mesmo sabendo que também ficamos tristes, chateados, irritados diante de algumas situações nos vemos tentados a dizer algo de positivo para que você supere este momento.

E algo pior podia acontecer...penso assim, mesmo quando fico triste. beijo

Nilson Barcelli disse...

Essas coisas acontecem a toda a gente.
Pensamento positivo, é o que faz falta nestas ocasiões...
Querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijos.

São disse...

Amiga, não fique tristinha , não! Melhores dias, sorrirão em sua vida, de certeza, rrss

Um apertado e solidário abraço

Seguidores