MOSTRANDO

SÓ PARA LEMBRAR, QUE ALGUMAS VEZES ESTOU POSTANDO NOS OUTROS ESPAÇOS DO SÍTIO, DAQUI. OU ESTOU ISOLADA EM ALGUM SÍTIO DE CÁ, FORA DO MUNDO BLOGAL.


Tenho postado AQUI ou AQUI

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Sou mesmo meiomuito burra !

Não consigo entender as pessoas, suas palavras e coisas.  As coisas que dizem e suas ações.
A região em que moro  é belíssima em sua natureza O que  faz com que muita gente queira passear, conhecer. E fora da temporada, ou seja, dos poucos dias que vão do Ano Novo gregoriano  ao fim de janeiro, e depois uns diazinhos no Carnaval, fica vazia, pois  o frio moderado prejudica  a praia  e o vento intenso, chicoteia com areia os banhistas. Então, dizem, que mais de um milhão de pessoas costuma passar por aqui na alta temporada.  E uma quantidade enorme de condomínios de microapartamentos permanecem vazios quase todo o ano. Uma cidade fantasma dentro de outras cidades. Cabo Frio, Buzios, Arraial, não tenho os dados, apenas minha observação do dia a dia  a viver por aqui.  A maior parte dos imóveis fica vazia  muitos com placas de " aluga-se para temporada". Ou "  Vende-se". Os altos valores pagos nesses dias parece que justificam os imóveis vazios todo o ano. Mas que permanecem  demandando cuidados, algumas  inúteis luzes acesas, consumindo para nada. Gasta-se água para preservá-los, para a alta temporada  E sobem novos condomínios, destruindo restingas, desfazendo as dunas de areias brancas, subindo escandalosamente pelos montes  verdejantes, a vegetação que tenta se restabelecer apos séculos de exploração,  arrasada, enquanto se constroem jardins decorativos, com plantas exóticas e alto custo de manutenção. Regas. Aqui a água é escassa, cara, vem de longe. E joga-se fora o verde e depois joga-se fora a água para o verde quase artificial;  e desperdiça-se materiais para construção de tantas casas fantasmas. Quanta madeira queimada para produzir telhados praticamente inúteis todo o ano, por não abrigarem ninguem. Porque nesse pais sobram recursos e a maioria da população mora em habitações dignas ( gente, essa ultima frase  é ironia, tá )
Agora mais um projeto desses, enorme, vai ocupar uma extensa e  linda praia deserta, com o entorno repleto de árvores, condomínio que apela nas vendas para o fato de estar em uma reserva, mas que para ser construído, segundo o  que vi nas imagens de divulgação , irão destruir. E já estão na fase de preparação do terreno, com corte das árvores enormes e erradicação da vegetação litorânea, a maior parte do verde ( vegetação secundaria alegam em seu EIA-RIMA, eu soube )   substituído por verdes(?)  gramados, piscinas (verdes?) a beira mar, quadras de esportes - tantas permanecem sem uso por aqui, para uma "elite"  estupida  que irá  passar quatro, cinco dias ao ano, enquanto vaidosamente afirmam " tenho uma casa em Buzios".

PS:  Interessante é que lá, o mar há tempos já invade as terras  e em toda a extensão da Praia da Gorda  vê-se  árvores com suas raizes descobertas pelos fluxos da maré, muitas já mortas, tombada ou tombando. Não tem, nem na baixa maré mais de metro e meio de largura, a praia. Mas é, ainda,  bastante piscosa, vizinha a uma colonia de pescadores, que ficará engastada no Condominio e certamente sem peixes, mais.  E por ser " Rasa"  não permite decks para embarcações a motor , assim como o banho de mar não é confortável e  precisa-se caminhar um tanto adentrando o mar. Espero então  a "Vingança de Gaia". Que certamente irá invadir, tomar para si, o que tomamos dela. Mas dói, ver árvores imensas  em terra firme, " secundarias"  desaparecerem  pela ganância de uns poucos. E a terra das encostas que irá descer aos poucos a cada chuva torrencial, comum, invadindo o mar. Aplainando o relevo.
Eu não entendo.  Sou mesmo burra.

14 comentários:

São disse...

Amiga, lendo seu desabafo, me veio à cabeça a destruição do Algarve , aqui em Portugal.

Com a agravante da invasão dos ingleses para viverem todo o ano e sua costumada arrogância. Que piora face à bacoca subserviência nossa.

Um solidário abraço,na tristeza de ver a Natureza ser substituída por arremedos.

O Árabe disse...

Somos, amiga... somos. Ou não. :) Boa semana!

Rubinho Osório disse...

Verdade: "somos". À exceção dos "espertos" que só verão a burrice quando for tarde demais.

Oimpressionista disse...

Onde moro não existe a natureza. Já há muitas décadas ela foi expulsa deste arraial entre os rios Tietê e Pinheiros, já há algumas de quase todo o vale entre as serras da Cantareira e do Mar. Lembra uma colméia, não das naturais, mas daquelas em caixas, com quadros de madeira e telas de arame pra apoiar os favos. Das que, quando vistas por dentro, são feias, uma profusão de serezinhos se atropelando entre mais serezinhos e melecas e crostas que só eles sabem para que servem. Destes favos antigos, que Gaia já assimilou, ainda que a contragosto e com caretas, assisto espantado o surgimento de tantas novas "suburbia" brasileiras, que são abertas em quilômetros quadrados por hora, à custa do que restou da Mata Atlântica e do Cerrado, com estacas e pontaletes e vigotas e lambris e soalhos e tacos e parquetes e portas e batentes lavrados à custa do que resta da amazônia, cercadas por invasões e favelas e loteamentos paupérrimos onde estão destinados a residir os porteiros, jardineiros, piscineiros, faxineiros e motoristas a serviço dos novos suburbanos. E de onde estão destinados a serem enxotados, se é que não soterrados ou afogados, pela fúria da natureza profanada, como noticia o telejornal a cada nova noite de verão. Daí que a coisa transcende a burrice. Não se trata bem disso. Dos burros nós manifestamos, talvez, a teimosia, a cabeça dura e turrona que resiste a assimilar os rumos a que pretende nos arrastar a sociedade. E esta, por sua vez, não sofre também de burrice, mas de demência, progressiva e incurável. Triste.

BlueShell disse...

Bom...então...eu também...

Gostei deste Blog...vou voltar!
BShell

myra disse...

nao é burra, nao! é tudo verdade o que diz...
bjs

Beatriz Fig disse...

Não somos burros, mas de certa forma nos tornamos por não compartilharmos a ignorância e a lógica "inlógica" da maioria. Sofremos por sermos "diferentes", mas só de saber que não somos eles, a dor dá espaço para um alívio e um otimismo forçado afinal, a natureza vai tomar o seu lugar e nem que demore muuuito tempo, vai resgatar um pouco do que tinha.

Mariazita disse...

Olá
Desculpe invadir assim seu espaço, sem mesmo avisar :), mas tenho visto comentários seus "por aí" e sentia curiosidade em conhecer o seu blog.
Calhou hoje...
Valeu a pena. Dei uma espreitadela em alguns (são tantos!) e gostei do que vi.
Estou agora numa fase de não muito tempo livre, mas voltarei, pode apostar!

Não é só na sua terra, infelizmente, que o Homem teima em maltratar a Natureza. Também cá pelas minhas bandas isso acontece...
E de vez em quando ela enfurece-se... e vinga-se!

Desejo um bom ano 2012.
Beijinhos

ricardo garopaba blauth disse...

voce burra ?
então somos dois..
gosta de "jogar conversa fora"
com quem tem conversa para jogar?
então somos dois.....
acredito que
somos muitos
que pensam como nós
mas poucos
comparados aos realmente burros
que se alicerçam no dinheiro....
burros nós dois...?????
então
VIVAM OS BURROS
que valorizam
A NATUREZA

Zé do Cão disse...

Tábem gostei deste espaço. Encontrei por aqui amiga
da primeira água.s que me antecederam. Entre elas a São e a Mariazita ambas de primeiro água. Efectivamente é uma pena haver povoações fantasmas, na medida em que somente são usadas 15/20 dias e mesmo 30. Também estou contribuindo para isso, mas sinceramente sinto.me tão feliz quando ao fim de uns meses volto, para fazer dela o meu lar e desfrutar do conforto que ela me proporciona.
O meu abraço

O Árabe disse...

Boa semana! :)

disse...

Se somos burrs por não entendermos eles são bestas por acharem que entendem demais.
Bestas quadradas, como diz minha mãe. Cabe bem para os gananciosos ao quadrado do sempre pequeno quadrado verde que resta e eles teimam em destruir!

O Árabe disse...

Aguardando o próximo post. Boa semana!

O Árabe disse...

Aguardando o próximo post. Boa semana!

Seguidores