MOSTRANDO

SÓ PARA LEMBRAR, QUE ALGUMAS VEZES ESTOU POSTANDO NOS OUTROS ESPAÇOS DO SÍTIO, DAQUI. OU ESTOU ISOLADA EM ALGUM SÍTIO DE CÁ, FORA DO MUNDO BLOGAL.


Tenho postado AQUI ou AQUI

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Comentário no facebook

continuação:

( Sou " verde" por ideologia, por natureza, desde a alma aos fios brancos do cabelo, mas acima de tudo entendo a ecologia como integração equilibrada do homem e natureza, porque ele, o Homem, não é o dono dela como acreditam muitos, mas apenas uma ínfima parcela e a parte que mais desrespeita sua mãe natureza e a culpa quase nunca é do indivíduo, que sustenta sua ignorancia nas ações dos que teriam o dom e o poder de esclarece-lo, porem poem à frente sua ganãncia, esquecendo que são apenas mortais)



Tenho um monte de blogs, que na verdade são as partes do meu sítio e hoje fiquei tentada a fazer mais um, além da "Velhinha veloz" criar a " VELHINHA BRABA" por conta de umas "tentativas de esclarecimento" sobre uns projetos que afetariam a minha cidade . É, mesmo morando em Cabufa, descobri que "uma vez petropolitana, sempre petropolitana" até porque sempre vivi e morei lá, mesmo quando fazia cursos universitários ou pós, no Rio de Janeiro, eu fazia parte do contingente da população que faz de Petrópolis " cidade dormitório".

Mas porque criar " o velhinha braba" se para isso já havia me convertido na sra Urtigão e moro aqui, como bicho-da-mata. E tambem porque ser braba não é condição adquirida depois que o tempo passou. Sempre fui muuuito braba e a idade vem até suavizando este aspecto. ( Adoooro quando meu neto Gabriel diz - " assim eu vou ficar muito babo, muito babo mesmo" , me sinto participando do futuro, nele hshshs)

Mas a minha briga, quero dizer, briga não, tentativa de que me esclarecessem foi por conta de um projeto turístico legalzinho, maneiro mesmo e até quem sabe, bem intencionado. E eu adoraria levar meus netos ao passeio no "Expresso Imperial" mas a questão é o custo social que isso acarretaria, quanto à remoção de famílias que "atrapalham" o processo da reconstrução desta estrada de ferro de "apenas 6km", subindo a serra ( ou descendo, óbvio), mesmo com o argumento que ocupam ( há décadas) áreas de preservação ambiental. Para onde iriam, afastando-se de seus amigos, parentes, historia, escolhas? Para um conjunto habitacional a ser construido...em outra área de preservação ambiental, já que Petrópolis é toda APA, mas que polìticamente obteria , pós EIA-RIMA conluios e negociatas, autorização, após fajutas audiência públicas, como são as obtidas nos mega investimentos para construções de imóveis para classes A e A e...tá, classe média alta e põe alta nisso, mas que colocariam essas pessoas "invasoras" desfavorecidas ( os ricos fazem quadras de tenis dentro da APA) a horas das possibilidades de trabalho, coisa que tambem faz o empregador preferir trabalhadores de perto - menor custo do vale transporte além de menor absenteísmo. Sair de casa as 4:30 da manhã no inverno de Petrópolis é no mínimo absurdo, irreal. Como Humanos não percebem o que estão a fazer aos outros Humanos?

Sem falar dos grandes beneficiários quanto dos processos financeiros que envolvem estas obras. " O de cima sobe, o de baixo desce"

Ah! Eu hoje " estou muito braba mesmo".
Nem vou postar fotos bonitas da região, que tenho aos montes.

( E ainda fui assistir hoje ao vídeo postado pelo Eduardo, do blog OBSERVAR e ABSORVER sobre o permanente genocídio praticado por nós eurodescendentes civilizados em terras conquistadas.)

.

3 comentários:

São disse...

Penso que fundamentalismo, seja em que área for , jamis ajuda ou resolve o que quer que seja!

Choca-me haver tanta preocupação com animais ou vegetação e se deixar viver pessoas em condições infra-humanas...

Quando houver novas, lhe direi, minha amiga.

Bem haja!

Beatriz disse...

Quando é para ,de uma certa forma, enganar turista, destruir não faz diferença, mas quando é pra tirar, antes mesmo que construam, famílias que vem de sei lá onde pra se enfiar nos buracos no meio do mato pra morar, a prefeitura é cega. Depois essas pessoas aparecem os jornais reclamando que não tem água, esgoto, luz.. Todo errados!
Porque não melhoram o centro da cidade, o trânsito e outras coisas para ganhar dinheiro com turismo? Museu fechado segunda - feira é uma burrice sem tamanho!

Rubinho Osório disse...

Se o projeto é interessante, por que não envolver essa população afetada no processo de discussão do projeto e busca conjunta de uma solução? De repente, até existe uma forma de atender essa população e implantar o projeto!!! Tudo depende de se conversar com transparência...

Seguidores