MOSTRANDO

SÓ PARA LEMBRAR, QUE ALGUMAS VEZES ESTOU POSTANDO NOS OUTROS ESPAÇOS DO SÍTIO, DAQUI. OU ESTOU ISOLADA EM ALGUM SÍTIO DE CÁ, FORA DO MUNDO BLOGAL.


Tenho postado AQUI ou AQUI

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

VIOLÊNCIA POLICIAL DE PRIMEIRO MUNDO

*
ASSISTA:
http://www.youtube.com/watch?v=WRkome5k98w


Do que se trata afinal a violência ? de MEDO gerando MEDO ?
o medo incutido ao nascer como manifestações de xenofobia, o medo de se perder o que foi conquistado ? Ou de não se atingir novas conquistas? É medo o que nos faz desejar possuir, controlar ? O mesmo que nos faz fugir, sonhando com algo melhor e nos colocando frente a frente com aquilo de que fugimos ? Tudo que presenciamos por aqui, sempre, e recentemente, por exemplo, todo o drama da Eloa e de Lindemberg que agora se desdobra com a história de seu pai, não tem sempre o mesmo fundo ? Mortos de medo e pelo medo, por instrumentos criados e aperfeiçoados para nos proteger deste mesmo medo que passamos a inflingir. Multiplicar ao ameaçarmos com o nosso, o outro.
O mesmo sentido pelos espanhois ao invadirem as terras depois chamadas Américas, quando se defrontaram com o estranho, onde deuses que não foram entendidos em seus simbolismos eram representados por figuras que eles, espanhois, atormentados pelo medo da Inquisição, entendiam como o demonio. E partiram para o exterminio, para a expansão não do território ou cultura, mas simplesmente de seu proprio pavor. Mais do que a posse, o motivo foi eliminar a cultura.
O medo de perder seus direitos aos excessos que fazem agora os angloamericanos fecharem os olhos às desgraças já demasiadas no planeta e expandirem seu terror.
Sempre esta falta que em nós é produzida e se manifesta como um excesso de sua contrapartida. Não, o oposto de medo não é coragem. É AMOR.

2 comentários:

Rubinho Osório disse...

Belo texto! Que inveja eu não ser o autor! Brincadeira! Fico feliz em ler coisas assim. Vou referencia-lo no meu blog, ok?

Dona Sra. Urtigão disse...

Ora Rubinho, fique a vontade

Seguidores