MOSTRANDO

SÓ PARA LEMBRAR, QUE ALGUMAS VEZES ESTOU POSTANDO NOS OUTROS ESPAÇOS DO SÍTIO, DAQUI. OU ESTOU ISOLADA EM ALGUM SÍTIO DE CÁ, FORA DO MUNDO BLOGAL.


Tenho postado AQUI ou AQUI

domingo, 12 de abril de 2009

Em teoria, estou tranquila há tempos, estudei muito e tomei conhecimento (sentido fisiológico/psicológico) de muita coisa, sei cogitar bem, esta minha memória é muito boa. Na pratica transformei um fazer muito dentro do fazer pouco. Experimentar, e ser do contra. Ou, a melhor perspectiva apresentada, sob a ótica de tal cultura é A emtão farei B ou C ou Z .
E esta questão de ser compulsiva. De quase tudo, faço muito e faço muito ( primeiro: frequencia, segundo:intensidade)Não sei provar, não sei ser sutil ou discreta. Tenho que aprender a "dar um tempo" sem sentir dor de estômago. Ou não, afinal não é assim que a as batalhas da minha vida tem sido vencidas?
Medir, pesar, analisar, avaliar, vá com um pouco mais de calma, reflita, peça opiniões, OUÇA-AS e reflita. Descarte. Encontre o caminho do meio sem sentir-se "em cima do muro". Não é indecisão, é escolha.
Balance, informe-se, dê um tempo para acontecências mas não esqueça que esta duvida em que voce está agora, pode ser a ultima chance de algo. De qualquer coisa, pois a vida, para a maioria das pessoas é este algo indeterminado, amanhã pode não ser mais.
Viva, então.


(Se aparecer um novo problema, vou chorar e ranger dentes, esbravejar ou trancar-me dias em casa. Pois não são só as mãos que trago distante do meu peito, também o cérebro.)

.
link: Incertezas

.

4 comentários:

Selena Sartorelo disse...

A descoberta
O reencontro
A constatação
Resignada e soberba
O reconhecimento de mãos dadas com a humildade...
Um momento resumido numa vida intensa e verdadeira pois a dúvida da certeza é tua companheira.
Sem limites...
Encontrando o equilibrio da razão
pois está é a vestimenta humana da compreensão do amor.
Encontrar-se com teu "eu" e perceber que ele é pleno e perpetuo e que tua carne é finita.
Sem denominações cientificas e bem explicadas, apenas aceitar assim teu existir.
Lindo momento onde conseguimos ouvir o nosso próprio pensar com todas as suas possibilidades, mas com a única certeza de que ele é seu.
As vezes precisamos escrever para podermos nos ouvir...obrigada por tão rico pensamento vivido e percebido nesse momento.

p.s. Cadê o título? se aceitar sugestão pode ser EU ou NÓS ? rsrsr

beijos minha querida amiga.

Beatriz disse...

"Viva, então". Mas é dificil viver achando que poderia viver melhor ou diferente. E a sensação de que está perdendo tempo? Angustiante. E tentar viver um pouco de tudo? Acaba não "mastigando" nada. Ihhh Tantas coisas... As vezes é por isso que retornamos com outras vidas, de outras maneiras. Para viver tudo, de jeitos diferentes mesmo sem se lembrar do que já viveu. =) A foto que vc falou foi a do coelho? Acho que mandei por email uma vez. Se for a do blog, deve ter parecida no orkut mesmo.

Rubinho Osório disse...

Não resisti, e transcrevi.
Transgredi? Mas não me perdi!

Dona Sra. Urtigão disse...

Selena, é mais ou menos isso.

Beatriz, mesmo com isso tudo, sinto pena dos que tem a vida tranquila, poeque me parece pobre, pouca experiencia, vive-se menos. Então, viva a complexidade.
( A foto que falei é a do cabeçalho do seu blog)

Rubinho, aqui não há transgressão, a amizade permite cópias, criticas, sugestões. No caso, aqui, ou lá, faltou sua opinião. Perdeu?

Seguidores