MOSTRANDO

SÓ PARA LEMBRAR, QUE ALGUMAS VEZES ESTOU POSTANDO NOS OUTROS ESPAÇOS DO SÍTIO, DAQUI. OU ESTOU ISOLADA EM ALGUM SÍTIO DE CÁ, FORA DO MUNDO BLOGAL.


Tenho postado AQUI ou AQUI

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Papai Noel existe !

Meus amigos que me visitam lembram que pedi de natal TOLERÂNCIA. Pois vejam, acho que ganhei. Acho, não. Ganhei, sim ! Explico, destinei esta semana para resolução de algumas pendências, dessas que tenho grande dificuldade em resolver por exigir um determinado tipo de interações que há muito tempo deixei de suportar. Por exemplo ida a repartições publicas e coisas do gênero. Mas, alem da necessidade de venda de um imóvel compartilhado o que exige diversas certidões, ainda necessito renovar minha carteira de habilitação pois senão corro riscos pelas estradas, alem ter que renovar a licença de meu carro, que fui adiando por total incapacidade, recentemente adquirida, de resolver estas situações, o que me deixou trafegando ilegalmente. Crise!
Com agendamento feito no DETRAN, pela internet, saio cedo em campo, iniciando pelo caixa eletronico do banco para uma segunda via da taxa pois a primeira estava rasurada. Quando estou de saida, um senhor, aparentando bem mais velho do que eu pergunta-me " Mocinha, voce sabe como pagar DUDA (Adorei o mocinha e havia acabado de pagar meu DUDA ) Inicio a resposta : Éé, o senhor... e ele me interrompe asperamente " Se não quer ajudar dane-se, eu faço sòzinho" Ôpa. 1x0 , não respondi nada, fui cuidar da minha vida.
Na agencia onde eu estava agendada, descubro que agendar significa ter estabelecido o direito de pegar uma senha e ficar sentada (pelo menos) aguardando a vez. Agendamento ? Bem, chega uma senhora, bem mais jovem do que eu, olha em volta, chama " A. (omito o nome para evitar aspecto de denuncia) tudo bem?" Ao que a tal A. chama a referida retardatária para tras do balcão e ficam conversando e quando o funcionário chama meu número, sento-me defronte a êle, ouço: "aguarde um instante" e aguardo ele preencher os dados da referida beneficiada por tráfico moderado de influência, enquanto o guichê(?) ao lado chama o numero seguinte ao meu, e completa o atendimento,e enquanto modestamente argumento que isto não está certo, ter alguem passando a minha frente, tenho que ouvir argumentos absurdamente desrespeitosos a minha moderada inteligência. No setor seguinte, o da foto, já estavam, quando lá cheguei, a minha frente, os dois numeros posteriores ao meu alem da referida...Ao invés de "rodar uma baiana" ou coisa que o valha, pensei, Éé, deve ser meu carma, ainda bem que estou pagando agora, pois seguramente em algum momento de minha vida profissional, fiz algo equivalente. Bem, mais duas "repartições", cartórios , requerimentos, bancos, vou ao "cartório de distribuição" e descubro que era o primeiro dia de concessão de isenção de imposto predial a idosos, que precisavam de certidão de qualquer coisa, lá, fila unica, e enquanto buscava o fim da fila, contei, 162 pessoas a minha frente. Esperei vinte minutos, não dei nenhum passo a frente, desisti para voltar mais tarde, quem sabe, a fila estaria menor. De idosos, note bem. Quando volto, as 16:30 hs, encontro fila de 30 pessoas, atras de mim uma senhora de 72 anos que relata que chegou as 8:00hs da manhã mas estava feliz porque conseguiu o tal GRERJ, foi ao banco no Centro da cidade pagar e voltara a tempo para entregar o documento. Só estava com fome porque o tempo só fôra suficiente para comer um salgadinho no caminho. Consegui meu Grerj, as 17:30hs. Vou pagar amanhã,volto lá para entregar. A tal fila deve repetir-se, segundo eu soube até o dia 16. E dei boas risadas quando o funcionário pergunta-me e à minha irmã "certidão negativa? são casal?"
PS: entre a primeira e segunda idas ao forum, fui à receita federal resolver pendencias da tal malha fina que me notificou por edital a comprovar despesas de instrução de filhos em 98, fui "condenada", inscrita na dívida ativa da união e os juros são 4 vezes o valor do principal acrescido de multa. Por edital. Eu moro há anos na mesma casa e declaro imposto de renda anualmente. Mas eles não sabem o meu endereço. Eu teria comprovado, à época.
Tudo quase resolvido. Eu não briguei, perdi o controle, nem chorei.
TOLERÂNCIA. Mas NÃO GOSTO DE GENTE.

6 comentários:

André disse...

Hehehehehehe
Bom... Não dá pra dizer que viver em sociedade não é emocionante, né? =P

Rubinho Osório disse...

Xiii, tolerância mesmo, ou voce está perdendo o "pique"??? Brincadeira!!!
Lembrei daquela famosa oração americana "Pai, dai-me coragem pra mudar o que é possível, paciência pra suportar o que não é, e sabedoria para distinguir os dois, amén!"
Quem sabe voce está adquirindo sabedoria...

toto disse...

Aconteceu-me algo do género eem quase todas elas comecei por uma liçãozinha (coisinha didática) e, em quase todas elas, acabou num "cagaçal" dos diabos. Mas todos os que estava-mos no lado da seca ficamos satisfeitos com os "pontos nos iis". E eu também.

Talvez, por coisas destas eu decidi criar um miserável BLOG (http://totodasversas.blogspot.com) que tem o ponto de partida num pequeno e típico bairro de uma pequena cidade do pequeno Portugal, visando injustiças através da "mais miserável" ironia caseira e pacóvia.


Quanto à Madame Urtigão, se não é uma Santa, está lá muito perto para lá caminhando!...
Sua paciência é um milagre!

Como pecador, nem sei se devo dar-lhe os parabéns... Parabéns!

Dona Sra. Urtigão disse...

André,
pois sim, eu gosto de emoções fortes, aventuras, mas estas coisas são provocações.

Rubinho,
resistindo na cidade e às suas exigências, mas quero mesmo é que a chuva deixe este condição permanente, para que eu possa voltar para o meu lugar.

Abraço.

João Soares disse...

Estou triste em saber isto.
Espero que tudo corra bem.
Um abraço muito amigo
João

Dona Sra. Urtigão disse...

João,
o importante é que estou aprendendo a conviver com dificuldades, sem me exasperar. Porque pedras no caminho sempre teremos, eu tenho que passar, sem usa-las para apedrejar ( muitas vezes a mim mesma)
Agradecida.

Seguidores