MOSTRANDO

SÓ PARA LEMBRAR, QUE ALGUMAS VEZES ESTOU POSTANDO NOS OUTROS ESPAÇOS DO SÍTIO, DAQUI. OU ESTOU ISOLADA EM ALGUM SÍTIO DE CÁ, FORA DO MUNDO BLOGAL.


Tenho postado AQUI ou AQUI

segunda-feira, 9 de junho de 2008

NUM DIA DESSES DE MAIO



Passo pouco mais de quatro horas dirigindo por uma estrada que já se tornou familiar. Mas ao final, a recompensa é maior do que o pote de ouro do final do Arco-iris. Chegando, encontrarei aqueles que para lá se transferiram e que eu amo.
Como é possivel que digam que não gostam da paisagem...Uma, a que mora lá, diz que a da serra onde cresceu é que é bonita. Não! São diferentes, mas igualmente belas, magníficas. A outra, que não gosta de ir, justifica-se "que chato, êsse parnasianismo monocromático". Ai! Como, monocromático: vejo ali uma infinidade de cores, de tons. Parnasianismo? Sim, a cada curva da estrada, novos encantos. As altas escarpas da serra cederam lugar aos morrotes - como é que se chama mesmo êsse relêvo, vou rever depois - que parecem deliciar-se ao Sol, jogos de luzes e sombras, espraiando-se até não poder mais. Entre êles se ocultam e ora se apresentam, moradias, bucólicas, sempre com um pequeno jardim florido, o cercado da "criação", as formas geométricas multitonais das pequenas plantações. Não, jamais será cansativo. Sobrevoam pássaros que nem sei quais são, em bandos , ou solitários. Próximo ao final, subindo a serra, pois estou no "Circuito Serras de Minas" , sou contemplada com o pôr-do-sol. Raios cintilando entre as nuvens, cores que vão do dourado ao púrpura, quase não consigo seguir adiante, a vontade é de parar em contemplação. Mas pé-no-chão, a estrada não tem acostamento, uma senhora sòzinha... e, além do mais, a recompensa que me espera no fim da viagem... E num mixto de êxtase contemplativo e ansiedade para chegar, sigo. O céu muda ràpidamente suas cores e troca as cores da Terra. As sombras intensificam-se, as matas e ranchos tornam-se sòmente silhuetas , e súbitamente o céu reluz novamente em milhões de estrelas."Luz do Firmamento". E já chegando,vejo a Terra reluzindo em milhares de vagalumes.E então,lá estão: os sorrisos dos meus queridos!

4 comentários:

Tiago Paixão disse...

Cara Urtiga:

(desculpa a intimidade)... Não se preocupe com as coisas pequenas da existencia dos blogs... Pra mim isso serve para duas coisas... desabafar e encontrar amigos... O vinicius costumava dizer que eles não se fazem, mas se reconhecem... Tenho amigos em vários lugares devido ao blog e a outras "ferramentas eletrônicas"... mas no final de tudo o que vale é o carinho e a amizade. Portanto, adorei receber teus comentários e não vou me furtar de responder sempre! caso na tua fazenda "Estância da Dona Urtiga" tenha MSN e tu queira aumentar o papo... só adicionar paixao.pereira@bol.com.br
Ah... O cachorro hoje não me recebeu bem... acho que eu esqueci o biscoito dele.... mas ainda acho ele fofíssimo!

Patrícia disse...

Sim, a estrada é linda, cheia de cores, aromas e sensações... mas será que você ama a estrada pelo que ela é ou pelos lugares/pelas pessoas para os quais ela te leva?

Dona Sra. Urtigão disse...

Tiago, Obrigado e vou chegar a um MSN. Por enquanto ainda estou lutando para aprender coisas mais básicas

Patricia, ooooobrigado por teres vindo. Mas, as duas coisas, ou melhor,quatro:a estrada, os que estão no final, os que conheço pelos caminhos e aqueles que as vezes podem se dispor a me acompanhar. Será que estou desurtigando?

Domingos disse...

Estou adorando os posts nesse blog, estão ficando cada vez melhores!

Beijo!

Seguidores