MOSTRANDO

SÓ PARA LEMBRAR, QUE ALGUMAS VEZES ESTOU POSTANDO NOS OUTROS ESPAÇOS DO SÍTIO, DAQUI. OU ESTOU ISOLADA EM ALGUM SÍTIO DE CÁ, FORA DO MUNDO BLOGAL.


Tenho postado AQUI ou AQUI

segunda-feira, 2 de junho de 2008

aprendizado

Nada mais dificil para uma velha bichodamata do que entender e aplicar novas tecnologias. Eu que nem sequer aprendi a programar um videocassete -sabem o que é isso, ou, era isso? Dirigir? só automóveis básicos. Fotografia? ainda uso filmes em máquinas semi pro.E, de medo de sair da toca, resolvo trazer coisas novas para a toca. Como será possivel isto? Só não estou tremendo de medo, porque há muito tempo deixei de sentir medo, de tanto medo que senti,das coisas que a vida me aprontou. Ou será que fui eu quem aprontou e ainda não percebi.Como na caverna , ainda me recuso a olhar para fora, deleitando-me com as sombras.As vezes saio, mas no escuro...

6 comentários:

Mr. Fart disse...

Genial!

Manolo disse...

Colega,não publique isto, ou publique, se quiser. Pouco se me dá.
Acabei de ler uma discussão sua com o M. Henrique, o "Professor". Note: ele não vai conseguir (ao menos tão cedo) atingir determinados volteios e páramos filosóficos. Está lendo agora autores que já "destrinchou" em postagens passadas. O blogue dele me parece voltado ao público juvenil. Trata Lacan como um semideus, fala de Kant como se tivesse entendido (se é que leu) alguma coisa do que o filósofo de Koenisberg disse! Ele nem saberia dizer a que Kant veio!
Eu parei de ir ao blog do carioca quando li os absurdos que ele escreveu sobre Wittgenstein, subpondo-o a Saussure!!
Francamente! Ninguém pode entender Wittgenstein (i) se não conhecer ao menos 80% da obra de Sto. Tomás e de Sto. Agostinho: garanto que nosso amigo não conhece nem 10%. Eu, que os estudo há anos, não ousaria opinar sobre certos pontos; (ii) se não houver lido pelo menos - bem por baixo, mesmo - umas 25.000 páginas de Wittgenstein (eu, que agora estou beirando as 7.000, não me arriscaria a dar uma preleção sobre ele!; (iii) se não houver compreendido Platão e Aristóteles em seu sentido histórico e filosófico, mas também de arquétipos.
Hoje voltei àquele blogue, para ver se alguma coisa se houvera aberto na cabeça do menino, e eis que ele está lá falando em "linguagem". Quase tive uma crise de risos! Se eu o levasse para discursar no grupo de estudos de que participo aqui em S. Paulo, até os menos adiantados ririam dos argumentos dele, todos pífios.
Não posso desmerecê-lo como educador de crianças; contudo, não pode ser levado a sério num debate entre adultos.
Eis aí: não espere de um beija-flor que atinja voos condoreiros.
Abraços, daqui.
Ah, um p.s.: não me consta que ele leia em algum outro idioma que o nosso. Nem toda a obra de Wittgenstein está traduzida. Ler Pascal em traduções, Voltaire em traduções, Sto. Tomás, Sto. Agostinho... ora, ora, ora...

Dona Sra. Urtigão disse...

Manolo,
A respeito de sua mensagem sobre aquela pessoa,
não sei se é o hábito de mãe de um monte de adolescentes (alguns dos meus já se tornaram adultos e seguramente, inteligentes) que me leva a insistir com outros adolescentes, tentar produzir reflexão ou uma abertura na compreensão do mundo. Mas é a questão da inutilidade do esforço que aqui me faz desistir. Não que eu esteja em nenhum nível acima de ninguem,exceto o etário, mas a consciência de ser aprendiz, isto caracterizo como importante. E alguns professores se vêem como sábios. É pena. Não leram Platão, o autor que me mandaram ler. hshshs.
Abraço.

Dona Sra. Urtigão disse...

E agradecida por suas palavras. É bom um carinho quando se foi insultada.

Manolo disse...

Colega, ele não tem a menor condição de compreender Platão. Os diálogos com Fedon e Fedro, por exemplo, ou falam abertamente em reencarnação, ou de algo muito parecido. O que esse menino poderia entender lá? Nada!
Continue com sua jornada de humildade e sabedoria, que eu continuarei a admirá-la pela vivência e pela vontade de sempre aprender. Quem somos nós, enfim? Aprendizes da vida.
O gigante Ruy Barbosa, de certa feita, disse assim: "para não arrefecerdes, imaginai que podeis vir a saber muito; para não presumirdes, refleti que por muito que souberdes, mui pouco tereis chegado a saber".
Acho que um dos flagelos do ateísmo puro (o caso de nosso amigo) é o ateu colocar-se na posição de um deus.
Abraços, daqui

Dona Sra. Urtigão disse...

Ou se posicionam como ateus por não admitirem que possa haver alguem superior a eles. Isso ?

Seguidores